Guia completo para curtir e amar Paraty no fim de semana

As vezes, tudo o que a gente precisa é fugir para uma praia no fim de semana e encontrar um lugar calmo que nos passe tranquilidade, não é? Visitar cachoeiras, fazer trilhas e conhecer lugares novos são algumas das inúmeras atividades que só Paraty pode proporcionar.

+ Veja também: Teatro | Depois do Amor revela uma Marilyn ainda mais fascinante

Fundada em 1667, a 232 km da cidade do Rio de Janeiro, Paraty é um exemplo de preservação e riqueza da arquitetura colonial e seu centro histórico é tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

Espremida entre o mar e a montanha, ainda conserva o casario típico daquela época no Centro Histórico, formado por preservados casarões coloniais, igrejas dos séculos XVIII e XIX e ruas calçadas pelos escravos em pedras pés-de-moleque, onde o tráfego de automóveis é proibido.

Mas, ao circular pelas ruelas do Centro Histórico, o turista tem uma grata surpresa. Charmosas pousadas, bares animados e restaurantes comandados por chefs renomados aliam a tradição ao que há de melhor em termos de turismo. É lá que acontecem a FLIP – Festa Literária Internacional de Paraty e o Festival da Pinga, eventos mais conhecidos da cidade.

Mas Paraty não vive só de história: localizada em uma baía com mar azul e límpido, a cidade é cercada por aproximadamente 50 praias e 65 ilhas – algumas ainda sem urbanização e com vilas de pescadores.

Para os mais aventureiros, há passeios de barco e ótimos locais para mergulho nas ilhas vizinhas. Na estrada Paraty-Cunha se encontram piscinas naturais perfeitas para banho formadas por lindas quedas d´água, como as da Pedra Branca e Tobogã. Já a vila de Trindade atrai os jovens com suas praias selvagens e acessíveis por trilhas, como a do Sono e do Cachadaço.

Como chegar: partindo do Rio de Janeiro – Seguir pela BR-101 (Rodovia Rio-Santos). São aproximadamente 232 km que podem ser feitos em 3 horas.

Partindo de São Paulo – a capital fica a 330km de Paraty.

Há varias opções, mas as melhores são: Pela Rodovia Ayrton Senna, seguindo Rodovia Carvalho Pinto, depois Rodovia dos Tamoios até a BR-101 (Rodovia Rio-Santos). Em Caraguatatuba seguir sentido Ubatuba e depois Paraty. São cerca de 285 Km. Pela Rodovia Ayrton Senna, seguindo Rodovia Carvalho Pinto até Taubaté e pegar a Osvaldo Cruz até a BR-101 (Rodovia Rio-Santos) até Ubatuba e então seguir para Paraty. Total de 293 Km. 

Como chegar:

O que fazer em Paraty

Paraty-RJ

Como a cidade fica entre a Serra do mar e o litoral, existem opções para todos os gostos. Você pode explorar as praias, fazer passeios de escuna, caminhar por trilhas históricas e tomar banho em uma das várias cachoeiras que ficam próximas a cidade.

Além disso, o centro histórico, que tem casas de mais de 100 anos tombadas pelo patrimônio histórico, oferece aos turistas muitos restaurantes e lojas que vendem artesanato e produtos típicos, como a cachaça.

Praias em destaque

Praia_Vermelha_Paraty_190708_1

Praia do Jabaquara: é uma praia urbana próxima ao centro, tem vários quiosques e fica próxima do forte, situado em cima do morro do lado direito da praia.

Parati Mirim: é uma vila de pescadores com praia de águas calmas cortada por um rio, próximo tem uma aldeia indígena que pode ser visitada.

Praia do Engenho: pequena e bela praia que só é possível conhecer de barco. Conta com algumas casas de pescadores e não tem bar.

Saco do Mamanguá: braço de mar que entra no continente por 8 km, tem manguezais e unidades de conservação com matas protegidas. É possível chegar de barco saindo de Parati Mirim.

Pouso da Cajaíba: vila que tem algumas praias como a do Pouso, Ipanema, Grande e Itaoca. Todas elas são bonitas. Na Praia do Pouso há camping e casas para alugar além de barzinhos. As praias são ligadas por trilhas e o acesso é feita por barco.

Praia Vermelha: perfeita para relaxar, tem areia fofa e mar transparente. É pequena e muito bela e conta com infra estrutura de bares e restaurantes. Fica no roteiro dos passeios de escuna e só é possível conhecer de barco.

Praia do Sono: é uma praia muito bonita e deserta, tem algumas casas de pescadores onde se encontram campings e barzinhos bem simples. Para chegar nela se pega uma trilha de 1 hora de caminhada, perto do condomínio Laranjeiras (próxima também a Trindade).

Antigos e Antiguinhos: são praias pequenas e desertas muito bonitas. É possível conhecê-las de barco ou a pé, por uma trilha de meia hora a partir da Praia do Sono.

Praia de Jumirim: é uma linda praia próxima a Paraty, só se chega nela de barco. Fica na rota da maioria dos passeios de barco, tem apenas uma casa e águas calmas e claras.

Praia da Lula: tem areias claras e mar calminho de águas cristalinas. Boa para banhos, tem canto de pedras indicado para a prática de snorkeling.

Praia Grande da Deserta: boa para banho, tem águas cristalinas e areias fofas.

Principais Cachoeiras

cachoeira_da_pedra_branca_3

Pedra Branca: são varias quedas d’água que formam poços para banho. O local fica dentro de uma propriedade particular e chega-se pela estrada para a Fazenda Murycana (acesso pelo km 4,5 da estrada para Cunha).

Poço das Andorinhas: poço profundo, com piscinas naturais boas para banho. Deve-se tomar a estrada para Corisco – acesso pelo km 576 da Rodovia Rio-Santos para Ubatuba.

Tobogã: mais visitada e divertida cachoeira da região. Por uma lage de pedra inclinada escorre a água, formando um tobogã natural que termina em um poço. Chega-se lá pela estrada para Cunha a 8 km de Paraty.

Poço da Jamaica: é uma piscina natural formada entre as pedras do Rio Perequê-Açú, com uma pequena e refrescante ducha. É um local tranquilo e pouco conhecido, ideal para descansar e apreciar a beleza da mata que margeia o rio.

Dicas de Passeios

Passeios de escuna e barcos: De grandes escunas a pequenas traineiras, passando pelos veleiros e lanchas, há muitas opções para curtir o mar de Paraty. Mergulho e pescaria são atividades também muito praticadas pelos turistas.

Alambiques de cachaça artesanal: A importância da cachaça paratiense no século XVIII foi tão grande que  nome da cidade virou sinônimo da bebida. Paraty já teve mais de 100 alambiques, mas hoje conta com 7 em funcionamento.

Caminho do Ouro: a Estrada Real ou Caminho do Ouro em Paraty, construída pelos escravos, entre os séculos XVII e XIX, ligava Minas Gerais a Paraty, por onde descia o ouro dos portugueses. A visitação só é permitida com guias autorizados, pois atravessa propriedades particulares.

Fazenda Murycana: situada ao pé da Serra da Bocaina, funciona como engenho de aguardente. No passado foi casa de farinha e cafezal, entreposto de comercialização no ciclo do café, do ouro, do açúcar mascavo e aguardente e de mão-de-obra escrava. Peças em exposição na fazenda constatam as atividades comerciais passadas.

Igreja Santa Rita: é o cartão postal da cidade e fica em frente ao píer de onde saem os barcos e escunas para os passeios. Ao seu lado direito tem uma praça com canhões antigos.

Igreja Nossa Senhora dos Remédios: é a igreja matriz da cidade e tem uma grande praça ao lado.

Igreja Nossa Senhora das Dores: Pequena igreja próxima ao rio e de frente para o mar.

Fonte: site Paraty | Visit Brasil

Se você esta sem tempo para fazer uma viagem longa, mas quer curtir o seu Fim de Semana de um modo diferente, vem com a gente!

#BomFindi

Siga MeuFindi nas redes sociais:
Facebook: www.facebook.com/MeuFindi
Blog: www.blogmeufindi.com.br/
Instagram: www.instagram.com/meufindi/
Twitter: www.twitter.com/meufindi

Se você gosta de aproveitar o fim de semana, saber das novidades sobre tudo que acontece na sua cidade ou perto dela e ainda quer ajudar mais pessoas a curtirem um fim de semana perfeito, compartilhe MeuFindi com seus amigos.

Faça como milhares de leitores do MeuFindi, cadastre seu e-mail em nosso blog para receber novos conteúdos em primeira mão!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *