Roteiro Zona Portuária (RJ) tour histórico-cultural pela Região do Porto

Roteiro Zona Portuária (RJ): tour histórico-cultural pela região do Porto no Rio de Janeiro é lugares obrigatórios para conhecer na mais celebrada metrópole brasileira! Neste post o MeuFindi vai lhe dar o caminho das pedras para conhecer essa preciosa joia no fim de semana. É somente um menu-degustação, pois vale a pena, retornar o mais breve possível.

Conheça 9 obras incríveis de Oscar Niemeyer no Rio e em Niterói

A Região Portuária viveu seu apogeu e declínio em pouco mais de um século. De aldeia de pescadores a principal porto do país, a área foi também porta de entrada e moradia dos escravos, dando à região a alcunha de “Pequena África”, tamanho o número de negros que ali habitavam. A partir de 2010, com o início das obras do projeto Porto Maravilha, que revitaliza a área urbana enquanto preserva a história desta região, vários pontos históricos foram redescobertos.

Dos Jardins do Valongo ao Cais da Imperatriz, passando por projetos modernos como o Museu de Arte do Rio e o novo Museu do Amanhã, o projeto desenvolveu o potencial turístico e econômico da região, formando um legado para as futuras gerações. Nesse contexto, selecionamos alguns pontos de interesse turístico da Região Portuária carioca, formando um grande roteiro histórico e cultural desta importante região da cidade. Confira:

Pier Mauá

Roteiro
Fonte: visit.rio

O Porto do Rio de Janeiro é onde ficam ancorados os navios de carga e os cruzeiros, que aportam em seus 1050 metros de extensão. Seus armazéns também recebem festas, shows e grandes eventos do calendário oficial da cidade, como a Feira de Arte Internacional ArtRio, o Festival do Rio e  a Semana de Moda. Abriga ainda um dos postos de informações turísticas da cidade.

Onde: Avenida Rodrigues Alves, 10 – Centro

Praça Mauá

Praça Mauá
Fonte: visit.rio

Marca o início da Avenida Rio Branco e também da Região Portuária. A partir de 1910, com a inauguração do Porto do Rio, foi um importante ponto de recepção dos navios que traziam mercadorias e turistas à cidade.

No entorno da praça há importantes construções, como o Museu de Arte do Rio (MAR) e o Museu do Amanhã, além do edifício A Noite, primeiro arranha-céu da cidade, construído em 1930. No centro da praça está a estátua do Barão de Mauá, Irineu Evangelista de Souza, grande empresário do tempo do Império.

Onde: Praça Mauá – Centro

Museu de Arte do Rio – MAR

Museu de Arte do Rio - MAR
Fonte: visit.rio

Inaugurado em março de 2013, o MAR está instalado em duas construções com estilos heterogêneos, porém interligados. O antigo palacete de D. João VI se une à uma edificação modernista.

O primeiro prédio abriga as salas de exposições, que recebem mostras nacionais  e internacionais, de assuntos do passado e do momento presente. Já no segundo, funciona a Escola do Olhar, que desenvolve programas acadêmicos sobre arte, cultura e educação.

Onde: Praça Mauá, 5 – Centro

Museu do Amanhã

Museu do Amanhã
Fonte: visit.rio

Perguntas como “de onde viemos?” e “para onde vamos?” permeiam o imaginário da população mundial e são comuns a todos os povos. Pensando nessas questões, e em tantas outras, o visionário projeto do Museu do Amanhã tomou forma e se torna, então, um amplo espaço de debate e estudo sobre o impacto de nossas ações e como podemos alterar o cenário decadente que se avizinha.

Instituições renomadas mundialmente, como o MIT (Instituto de Tecnologia de Massachussets), o Google e a NASA, fazem sua parte do esforço coletivo de estudo de como os indivíduos podem transformar nosso destino na Terra. A proposta do Museu do Amanhã é pioneira em todo o mundo: não há sequer um espaço similar onde atividades culturais e de pesquisa tenham essa proposta de estudo do nosso amanhã.

Onde: Praça Mauá, 1 – Centro

Orla Conde

Orla Conde
Fonte: visit.rio

A Orla da Guanabara Prefeito Luiz Paulo Conde, na Região Portuária, é um passeio público com 3,5km de extensão, que liga o Armazém 8 do Cais do Porto à Praça da Misericórdia, onde está instalado o Museu Histórico Nacional. Passear pela Orla Conde é um convite ao relaxamento e contemplação, dando aos visitantes a oportunidade de enxergar um novo ângulo da cidade.

Mosteiro de São Bento

Mosteiro de São Bento
Fonte: visit.rio

Fundado em 1590 por monges vindos da Bahia, o Mosteiro Beneditino do Rio de Janeiro foi construído a pedido dos próprios habitantes da recém-fundada cidade de São Sebastião. Em pleno centro da grande metrópole, conserva-se como um lugar de silêncio e oração. A visita é restrita à Igreja Nossa Senhora de Montserrat, anexa ao Mosteiro.

Detalhes como o portão em ferro art nouveau e os altares em jacarandá cobertos por ouro são impressionantes. De segunda a sexta, às 7h15, são realizadas missas solenes com canto gregoriano, que também acontecem aos sábados, às 8h, e aos domingos, às 10h.

Onde: Rua Dom Gerardo, 40 – Centro

Pedra do Sal

Foto: Alexandre Macieira | Riotur
Fonte: visit.rio

A Pedra do Sal, no Morro da Conceição, faz parte da região conhecida historicamente por Pequena África, que se estendia do entorno da Praça Mauá até a Cidade Nova. Nas festas nas casas de escravos e forrós tocava-se o choro com flauta, cavaquinho e violão. No quintal, acontecia o samba rural, batido na palma da mão, no pandeiro, no prato-e-faca; e dançado com sapateados, peneiradas e umbigadas. Foi ali que nasceu o samba urbano carioca, que surgiram sambistas populares e antigos ranchos carnavalescos.

Hoje a Pedra do Sal é palco de animadas rodas de samba do grupo Roda de Pedra. O local possui simpáticos casarios coloridos, ladeados por uma escadaria e a histórica ladeira de pedra. A festa atrai turistas e jovens de vários bairros da cidade. No Dia Nacional do Samba, 2 de dezembro, integrantes do quilombo da Pedra do Sal celebram a lavagem da Pedra. Quem põe a mão na massa são grupos de candomblé e membros do bloco carnavalesco Afoxé Filhos de Gandhi. Há rodas de samba, de capoeira, culinária temática, exibição de filmes e palestras.

Onde: Rua Argemiro Bulcão, – Saúde

Igreja de São Francisco da Prainha

Igreja de São Francisco da Prainha
Fonte: portomaravilha

Construída e doada à Venerável Ordem Terceira de São Francisco da Penitência, em 1704; foi reedificada em 1740 após o local ser destruído durante um incêndio causado pela invasão francesa chefiada por Jean-François Duclerc.

Considerada uma das principais obras no estilo barroco jesuítico, a igreja ficou fechada por 10 anos devido a problemas de conservação e foi reaberta em 2014 para visitação.

Onde: Rua Sacadura Cabral – Adro da Prainha – Saúde

Jardim Suspenso do Valongo

Jardim Suspenso do Valongo
Fonte: visit.rio

Construído no início do século XX, o espaço foi projetado pelo arquiteto-paisagista Luis Rey e inaugurado em 1906. Construído nos moldes dos parques franceses do século XIX, retornou aos padrões originais após a obra realizada nos últimos anos. Réplicas das estátuas dos Deuses Minerva, Marte, Ceres e Mercúrio, que antes adornavam o Cais da Imperatriz, estão expostas no jardim.

Onde: Rua Camerino, s/n – Centro

Cais Valongo e da Imperatriz

Foto: Alexandre Macieira | Riotur
Fonte: visit.rio

Redescoberto debaixo de toneladas de terra durante as obras de reurbanização do Porto Maravilha, o local, construído em 1811 por determinação do Marquês de Lavradio, era o porto onde desembarcavam os navios negreiros e que, depois, foi remodelado para receber a Imperatriz Teresa Cristina, noiva do futuro Imperador D. Pedro II, em 1843.

Onde: Avenida Barão de Tefé, 91 – Saúde

Centro Cultural José Bonifácio

Centro Cultural José Bonifácio
Fonte: visit.rio

O palacete centenário foi fundado em 1876 por D. Pedro II e sediou a primeira escola pública da América Latina. Desativado em 1977, deu lugar à Biblioteca Popular Municipal da Gamboa.

Após restauro, a edificação reabriu como Centro Cultural José Bonifácio, com o intuito de preservar a cultura afro-brasileira no país.

Onde: Rua Pedro Ernesto, 80 – Gamboa

Fortaleza da Conceição

fortaleza

Erguida em 1713 no alto do Morro da Conceição devido à posição privilegiada em um ponto alto da cidade próximo à Baía de Guanabara. Cinco anos após a inauguração já dispunha do terceiro maior poderio bélico da região.

Com a atual renovação da região portuária da cidade, contígua ao centro, tornou a atrair grande público interessado em sua história, com destaque para a capela e para as masmorras onde líderes da Inconfiência Mineira ficaram presos. A vista descortinada da Baía da Guanabara e do Cais do Porto são outras grandes atrações.

Onde: Rua Major Daemon, 81 – Saúde

Casa da Tia Ciata

Hilária Batista da Silva, conhecida como Tia Ciata, cozinheira e mãe de santo nascida na Bahia, é uma das figuras mais influentes da cultura negra carioca do início do século XX. Realizava encontros entre os músicos e religiosos filhos de santo, e nessas seções a música dava o tom. Músicos importantes como Donga e Pixinguinha eram frequentadores assíduos das rodas, e especula-se que ‘Pelo Telefone’, primeiro samba gravado em disco, foi escrito em um desses encontros.

O Mictório Público é a Casa da Tia Ciata, escritório da Organização dos Remanescentes da Tia Ciata (ORTC) e espaço cultural para manter viva a memória da dama do samba. Uma exposição permanente sobre a veterana do samba é a principal atração do espaço.

Onde: Rua Camerino, 5 – Centro

Centro Cultural Pequena África

Centro Cultural Pequena África

Instalado na Casa da Guarda, no Jardim Suspenso do Valongo, o espaço tem como objetivo principal  resgatar e preservar os valores culturais da antiga Pequena África, região que hoje abriga os bairros da Saúde, Gamboa, Santo Cristo e parte do Centro, primeira morada dos africanos e seus descendentes que chegaram ao Rio de Janeiro.

Nesta área, hoje se encontram  comunidades remanescentes de quilombos da Pedra do Sal e Santo Cristo. O espaço realiza encontros periódicos, com rodas de samba, atividades culturais e debates, em um processo de resgate para a valorização da história e da cultura do Rio de Janeiro e do Brasil.

Onde: Rua Camerino, 5 – Centro

Fonte: visit.rio

Continuaremos com muitas dicas sobre o Rio de Janeiro nos próximos posts.
Siga, acompanhe, curta e compartilhe!!!

#BomFindi

Siga MeuFindi nas redes sociais:
Facebook: www.facebook.com/MeuFindi
Blog: www.blogmeufindi.com.br/
Instagram: www.instagram.com/meufindi/
Twitter: www.twitter.com/meufindi

Se você gosta de aproveitar o fim de semana, saber das novidades sobre tudo que acontece na sua cidade ou perto dela e ainda quer ajudar mais pessoas a curtirem um fim de semana perfeito, compartilhe MeuFindi com seus amigos.

Faça como milhares de leitores do MeuFindi, cadastre seu e-mail em nosso blog para receber novos conteúdos em primeira mão!

1 thought on “Roteiro Zona Portuária (RJ) tour histórico-cultural pela Região do Porto”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *